segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Ser ou não ser... eis a questão...

William Shakespeare escreveu isso em sua obra quando Hamlet estava angustiado pelas dúvidas sobre o assassinato de seu pai. Ele se referia ao fato de que nem sempre as pessoas são o que parecem ser, posso até afirmar que não só pessoas, como tudo.
Há várias questões relacionadas à existência no mundo literário. “Penso, Logo existo”, dita por Descartes põe o “ser” do homem em dúvida. Na verdade, o pensar é a única coisa q nos difere dos animais irracionais.... se são irracionais, eles não pensam, logo não existem... então, o existir está intrinsecamente ligado à sabedoria. “Mate o que há de animal em ti e serás meio humano”.
Tudo isso está relacionado à ideologia pregada a esse mundo incrédulo, cheio de “viseiras”... o Estado cega os intelectuais “não pensantes” e até os pensante... se assim é, existem e não existem.... pois uns deixam-se ser enganados pela “verdade” pregada e acabam esquecendo que existe uma verdade real... o famoso “real world” pregado na trilogia do filme “matrix”. O mundo parece ser maravilhoso e ruim... muitos pensam que ele seja de um jeito, porém é totalmente o contrário do q pensavam... talvez esse mundo não exista ... talvez ele não “é”...
Lembremos do “Amor Fati” ... ele não é um conformismo ou aceitação das verdades da vida como se viessem do nada... muito pelo contrário... é vc saber que vc mesmo é culpado de sua situação atual... vc a construiu...vc a criou... então, não vamos nos conformar com esse mundo do jeito que está...ele está se acabando por “falta de conhecimento”... não se destrua por usar “viseira” a qual vc sabe que que lhe é colokada para esconder de vc a verdade nua e crua....
O mundo não é bom nem mau... nós é que fazemos mal... e também fazemos bem... não vamos deixar que o domínio dos ditos “mais fortes” venha influenciar nossas vidas... pensamentos... modo de agir... modo de ser... se vc pensa, vc pode ser... vc pode existir... ou vc prefere ser um zé ninguém neste mundo que te faz bem e mal??? Não seja mais um iludido... Lembre-se que nem tudo parece ser o que é na verdade... a realidade pode ser totalmente camuflada e diferente...
Façamos do “sermão” de Nietzsche um passo a ser seguido... vamos renovar as valorações dominates.... vamos transmutar os valores... transvalorá-los... vamos transformar... mudar de sentido no âmbito das idéias e na visão geral que temos da vida e do mundo... Vamos nos permitir ser, viver e existir!!!!

By Ana Raquel Melo Cutrim

2 comentários:

Fernando D'Anjos disse...

Viva a verdadeira democracia!! hehehe, sem brincadeiras agora.
Talvez Descartes quis influenciar alguma coisa. Você absorveu muito bem a idéia. Não sei se ele quis mesmo dizr o "existir" no sentido material da coisa. Se pensarmos, podemos fazer o que quisermos, sero o que quisermos, dentro dos limites do possível, claro. Senão, seríamos mais uma espécie de animal carnívora dilaceradora de carne. Acho que exagerei um pouco, mas seria quase isso.
Beijo grande. Até a próxima.

Qu3lzinha disse...

isso... esse existir, fernando... não eh mesmo nesse sentido que muitos pensam, o material... na verdade é no sentido de libertação da mente... só "existe" realmente quem se liberta desse "sistema" drástico que vivemos....aaaiiii!
sou meio que revoltada quanto a isso...hum.... deixa pra lá
:P