domingo, 27 de fevereiro de 2011

DIAS DA VIDA DE VIOLETA (Parte 7)

Violeta foi dirigindo pra casa, eles pararam para comprar algo para comerem e foram ver as coisas de Violeta. Pesaram malas e ajeitaram tudo. Ficou tudo pronto para Violeta partir no dia seguinte. Ela levou Bernardo de volta na casa dele. Deram adeus um para o outro. Foi a pior volta para casa de Violeta, nem a volta em que Violeta descobriu que Bernardo a traia com uma outra mulher foi pior. Ela estava com duas dores, dores profundas. Estava com o coração dilacerado duplamente. Chorou o caminho inteiro. Parou na ponte para pensar e parar de chorar. Não queria que ninguém de sua casa a visse chorando. Ela foi pra casa e foi direto para seu quarto, sem falar com ninguém. Não conseguiu fazer mais nada. Tentou desesperadamente ligar pra sua casa no Brasil, tentou falar com alguma amiga pra ver se ficava mais calma. Mas nada adiantou. Ela chorava loucamente, compulsivamente, não conseguia controlar os gritos e lágrimas. tentou dormir, mas nada adiantou, todas as tentativas em vão. Tomou 3 tylenois, mas de nada adiantou. deitou e esperou o sono chegar. ela caiu num sono profundo, mas acabou acordando as 3 da manhã com uma terrível tontura e dor de cólica. Tomou mais 3 tylenois e voltou a arrumar o quarto. Limpou banheiro, quarto. Mas a tontura voltou e ela teve que deitar mais um pouco. Violeta não sabia mais o que fazer. Não conseguia arrumar suas coisas e nem dormir. Teria que ficar deitada, e assim fez. Colocou uma musica bem calma e suave, chorou muito e dormiu. Acordou assustada as 8 da manhã.
A hora passou muito rapido. Ela falou um pouco com Bernardo e, foi nesse momento que ele tocou no assunto do anel, perguntou o motivo de a violeta ter devolvido o mesmo. Ela respondeu com uma outra pergunta: "Por que tu aceitastes de volta?". Estava apressada, pois tinha que ir nos correios enviar os livros. Tomou um banho, não ligou muito pra tontura que sentia, se arrumou. Mas assim que iria sair, chegaram algumas amigas dela para lhe desejar boa viagem. Até os vizinhos foram visitá-la. Muitos perguntaram dos olhos e rosto inchados. A resposta dela era sempre a mesma: triste por deixar os menininhos que ela tanto amava, não sabendo eles que nesse meio tinha um meninão que a deixou na mão em um dos dias mais difíceis de sua vida, no dia que ela mais precisaria do seu amor.
Violeta estava bem melhor com as visitas, com as palavras de animo que todos os visitantes disseram. Bem nesse momento ela percebeu quem eram realmente os seus verdadeiros amigos, as pessoas que realmente se importavam com ela. Muitos ligaram por não poderem ir e disseram tambem palavras de animo. Quando os amigos e vizinhos foram embora, Violeta se preparou para ir nos correios, mas, assim que estava saindo, Julia, uma das suas melhores amigas, chegou. Elas foram juntas para os correios. Violeta estava super feliz por saber que o bebezinho de Julia ainda estar em sua barriga. Não desejaria o que ela estava sentindo para ninguém. Nunca a vi tão triste e tão cabisbaixa. Ah! Violeta.
Chegando nos correios viram que a taxa de envio de coisas para o Brasil havia ha pouco tempo mudado. O preço estava exorbitante. Sairia muito mais caro do que comprar uma mala extra e pagar excesso de bagagem. Entao voltaram pra casa. Julia teve que voltar pra sua casa. Ja era mais de meio dia. Faltavam pouquissimas horas para Violeta ir para o aeroporto. O host daddy dela disse que em um lugar ha 5 minutos de casa tinha um lugar que vendia malas. Lá foi ela correndo. Comprou mala e voltou mais rapido ainda pra casa. Colocou as coisas dentro da mala, pesou e se arrumou para partir. Se despediu de todos que la estavam. Foi um chororo de todos. Se despediu da host mommy, daddy, host kidão, cachorro e somente um host kid. Ela chorou compulsivamente por nao ter tido a chance de se despedir dos menino mais velho que ela cuidava. Eles perguntaram se ela esperaria ele chegar da escola. Eles esperaram muito, mas o onibus atrasou. Ela deu tchau mais uma vez e o host daddy foi com ela pro aeroporto. No caminho ela contou do ex noivado que ela teve. Ele (host) ficou chateado por ela ter devolvido o anel. Disse que o quensamento dele, por uma devolução de anel de noivado, era como se eu nao quisesse mais nada com Bernardo. E, a partir desse momento ela começou a se esgoelar. Chorou muito e foi obrigado seu host daddy parar o carro pra conversarem melhor. Ela se abriu com ele. Falou que Bernardo foi o primeiro amor da vida dela, mas que eles nao dariam certo à distância. Ele voltou a dirigir e continuaram conversando. Chegando ao aeroporto, Violeta ja se sentindo muito sozinha, se despediu do seu "pai", ele agradeceu a ela por ter dedicado 2 anos à familia dele, deram um longo abraço e ela entrou no aeroporto. Fez o check in e se älegrou"por nao ter sido necessario pagar a taxa inteira de excesso de bagagem. Ela foi pra área de seguranca de embarque e ficou la. Ficou esperando por alguém. No fundo de seu coração ainda tinha esperanças de ver seu querido e amado Bernardo. Quanto mais os minutos passavam, mais o desespero batia em seu coração, mais ela chorava. Ela esperou vigorosamente por 1 hora. Já estava quase na hora de seu embarque e ela teve que entrar. Aos prantos, mas foi. Ela sentiu uma vontade de sair correndo e ir na casa de Bernardo pra saber o que estava acontecendo porque ele nao foi a ver no aeroporto, mas infelizmente ela nao poderia fazer isso. Foi muito dificil ela passar pela segurança e deixar para trás dois anos de sua vida, tudo o que viveu intensamente havia acabado. Tudo o que ela mais amou intensamente em dois anos somente estava atras daqueles portões. começou a se desesperar novamente. Chorou muito. Um dos guardas teve que pegar uma cadeira para ela sentar, pois nao aguentava mais ficar em pé. Passou alguns minutos sentada e disse que estava quase na hora de seu voo. Um rapaz muito bondoso a acompanhou ate o seu terminal de embarque. Ela ficou sozinha ali, chorando, aos prantos. Antes de entrar no avião, comprou água e tomou mais 3 tylenois. Entrou no aviao e dormiu ate Charlotte. Acordou sentindo o avião pousar. Pegou suas coisas e ficou esperando o avião para o Brasil. So teria 30 minutos de espera entre um voo e outro, entao o tempo passou muito rapido. Embarcou novamente e sentou-se. Estava bem ao lado de um velhinho que estava indo visitar o Rio de Janeiro. Ele perguntou o porque de ela estar chorando. Essa pergunta sempre a faz chorar muito mais. Ela se abriu com o vozinho. Contou toda a história. Era uma longa historia. Tempo não foi o problema. Ele se comoveu coma historia. Violeta ficou aliviada em ver que ele ja dormia e então começou a assistir filmes. Assistiu 3 deles, inclusive um que a lembrou de Bernardo. O vozinho acordou com o choro de Violeta e eles voltaram a conversar.
Já era dia. Violeta ficou feliz com o anuncio do comandante que pousariam em dentro de 20 minutos.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

DIAS DA VIDA DE VIOLETA (Parte 6)

A mais nova futura mamae nao estava se sentindo muito bem. Ela vomitava muito. VOmitava quase tudo o que comia. Estava ficando fraca. Ja tinha perdido varios quilos. Numa certa manha, no dia em que Bernardo tinha marcado de tirar a lisenca para casarem, Violeta passou muito mal, chegou a desmaiar cedo pela manha e nao trabalhou. Ficou em casa deitada tentando recuperar as forcas. Bernardo então decidiu que seria melhor adiar e não prejudicar mais a saúde de nenhum dos dois, de sua futura esposa e de seu bebezinho. E os dias passaram e eles decidiram que seria melhor não casar. E os dias passaram mais ainda. Violeta estava sentindo dores abdominais e com isso preocupada em perder a sementinha que estava germinando dentro dela. Ela vivia com tonturas e dores abdominais, cólicas. Ela já estava muito preocupada. Varias coisas passavam por sua cabeça: voltar pro Brasil, arrumar tudo pra poder voltar ao seu país, pensava também em como viver uma gravidez sozinha, sem o pai da criança. Ela vivia pensando no que poderia acontecer com sua vida voltando ao Brasil grávida. Mas quando ela parava pra pensar no amor existente entre ela e Bernardo, tudo saia de sua cabeça. No seu último final de semana nos Estados Unidos, Violeta resolveu passar com seu amor. Passaram e aproveitaram o final de semana juntos. No domingo foram numa loja de jóia para comprarem o anel de noivado. Era um belíssimo anel. Bernardo escolheu-o dentro dos anéis que Violeta mais gostou. Os dois estavam muito felizes em firmar esse compromisso. Na segunda feira havia um feriado, e ficaram mais um dia juntos. Violeta dormiu muito mal por sentir dores durante a noite. Acordou varias vezes para ir no banheiro ver se a dor passava, mas em vão. Eles acordaram juntos, sentindo um o cheiro do outro, sentindo a maciez da pele do companheiro, mas repentinamente Bernardo parou de fazer carinho em Violeta. ELa ficou perplexa ao ver seu rosto assustado e perguntou o que havia acontecido. Ele respondeu que ela estava sangrando. Mais que depressa eles se arrumaram para irem em um hospital. Violeta estava inconsolável. ELa não parava de chorar, não parava de pensar no seu filho. Ficou desesperada como nunca! Ela tentou se acalmar e pensar em coisas boas, mas era quase impossível desvencilhar o pensamento de seu filho das coisas boas. Ter esse bebe foi a melhor coisa que já passou por sua cabeça. E ela esperou muito no hospital. E nenhuma resposta lhe foi dada. Ela chorava, se desesperava. Ela estava em estado de choque, não conseguia se concentrar em outra coisa a não ser seu filhinho. Ela fez exame de sangue. Tiraram vários tubos de sangue dela, injetaram um liquido e ela começou a passar muito mal. Ela estava muito tonta e sentia sua pressão bem baixa. Quando ela estava na sala de ultrasson, mandaram ela voltar pra enfermaria. O medico veio e deu a noticia a eles que Violeta não estava grávida. Aquilo foi um choque para os dois. Violeta ficou sem chão, mais do que já estava. Bernardo colocou a mão no rosto e começou a falar sobre a ingenuidade de eles de não terem feito os devidos testes, falou que vários planos foram feito em cima do nascimento do bebe, inclusive o noivado. Esses planos falados por Bernardo foram bem ouvidos por Violeta. Ela ficou sem reação ao ouvir que seu noivado aconteceu somente por causa do filho que teria. Ela ficou sem reação e perplexa, pois ela não havia percebido anteriormente que esse seria o verdadeiro motivo de eles terem se tornados noivos. Ela começou a desconfiar que não existia amor naquela relação. Então ela, em meio a tanta tristeza, resolveu ver se existia amor ou não. Ela já estava arrasada, mais uma noticia triste não faria muita diferença, segundo seus pensamentos sempre loucos. Foram na casa de Bernardo deixar o carro dele e, então, foram pra casa de Violeta no carro dela, já que Bernardo teria que pesar as malas da ex mãe de seu ex filho. Chegando na casa dele, ela devolveu o anel de noivado para Bernardo e sua reação foi exatamente a que estava em seus pensamentos: ele não relutou, recebeu o anel de volta sem dar uma palavra. Ele o colocou de volta na caixinha e guardou

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

DIAS DA VIDA DE VIOLETA (Parte 5)

Violeta tinha uma amiga maravilhosa chamada Rosa. Rosa era a unica pessoa que ela teria coragem de falar. e assim foi. Rosa foi correndo pra casa de Violeta e assim conversaram e passaram a noite juntas. Violeta nao sabia o que fazer, nem o que pensar e muito menos sabia onde estavam seus pensamentos. Rosa fez com que Violeta mandasse uma mensagem ao seu ex namorado e, assim que ela mandou a mensagem, Bernardo ligou. Ele a tratou mal no telefone, a fez chorar mais ainda. Mas ele percebeu que estava sendo muito grosso e pediu desculpas. Pelo menos nao foi tao insensivel quanto pensei que seria. Ja pelo telefone resolveram conversar no dia seguinte. Conversaram. Era vespera de Natal. Ele a convidou para passarem o Natal juntos com a familia deles, ja que nao sabiam do que havia ocorrido. Ela gostou muito do Natal, mas ainda triste com tudo. Ele a deixou em casa e, no dia seguinte, a buscou novamente para passarem o dia de natal com a familia novamente. Foi bem tranquilo e, apesar de estar muito cansada, Violeta sorriu e se sentiu mais a vontade do que imaginava. Ao chegar em sua casa, Violeta pensou muito como seria sua vida agora com um filho e sem estar junto do pai do sei filho. Varias vezes ela pensou no que poderia ser melhor, mas a cada pensamento, mais duvida. Ela nao conseguia tirar isso da cabeca e pensar normalmente com calma e ter uma vida "normal" em seu trabalho. Ela passou os dias da semana todos indo para casa da Rosa. Elas eram boas amigas. Conversaram muito sobre tudo e isso ajudou muito a pobre Violeta. Na quinta feira, antes do ano novo, ela resolveu chamar Bernardo para conversar. Eles dormiram juntos e isso fez muito bem a ela. Ela ja estava mais animada e menos triste. Resolveram reatar o relacionamento e resolveram contar para os pais de Bernardo que eles seriam avos. Na verdade ela nao estava muito a vontade para contar a noticia, mas mesmo assim Bernardo contou. Todos ficaram animados e felizes, mas Violeta ainda estava preocupada com a reacao dos seus pais, como enfrentaria tudo isso. Ela estava super confiante com a ideia de passar sua gravidez inteira longe do pai do seu filho, mas perto de seus proprios pais e em seu belissimo Brasil.
Violeta resolveu passar com seus amigos o ano novo, mas ao chegar nos locais de festas todos os tickets estavam vendidos e nao tinha mais nada para elas comprarem e quase passaram o ano novo na rua sem nada pra fazer. Violeta resolveu ligar para o seu recem voltado namorado e pegou as direcoes para casa do amigo em que ele estava comemorando ano novo. Ela foi com Rosa e outra amiga. Chegaram bem na hora da contagem regressiva. Ufa! Ela conseguiu nao passar o ano novo na rua. Ao chegar na casa do amigo de seu namorado e depois de dar feliz ano novo a todos, eles vieram parabenizar violeta pelo bebe vindouro. Ela ja estava animada em ser mae, mal esperava ver a criancinha chegando.
Era tao gostoso para ela saber que ela tinha um alguem dentro dela! Estava super animada com a ideia de ser mae e educar um ser, traze-lo a vida, faze-lo gente. Ela nao parava de pensar em educar uma crianca, em dar a luz, em dar carinho e em construir uma familia. Bernardo fazia parte de todos esses planos que ela fazia, parte de todos os seus pensamentos. VIoleta estava radiante como nunca! Porem chegou a hora de contar aos pais da menina pridigia que ela esperaria um neto deles. Violeta estava muito nervosa so em pensar na situacao. Sua mae era muito severa e tradicional. Ela nao parava de pensar na decepcao que daria a sua mae. Ela nao se preocupava muito com seu pai. Ele era uma homem muito tranquilo e compreensivo. Ela tinha medo mesmo era de sua mae. Mas nada que a companhia de Bernardo nao a fizesse confortavel. Primeiro, eles contaram para o pai de Violeta. Ele ficou nervoso. O irmao dela ja sabia, so nao sabia que eles ja tinham contado pro pai. Passou-se a semana e, no sabado, foi contado, pelo pai dela a sua mãe, o acontecido. Nossa!!! Nunca vi Violeta tao nervosa em sua vida inteira! Mas pelo menos ela estava aliviada quanto aos seus pais saberem. Agora so faltava enfrentar todo o povo preconceituoso que ela conhecia em sua cidade. Mas com o apoio de seu amor, tudo seria possivel. Ela entregava seus prazeres e confianca nas maos de Bernardo.
O tempo foi-se passando e tudo estava so amores. Nomes para o bebezinho ja estavam escolhidos, projetos, alegria, amor, tudo ja estava indo somente para o bebezinho mesmo com pai e mae de violeta querendo um compromisso maior entre ela e Bernardo. Ela nao se importava muito quanto a isso. Estava muito mais preocupada com o futuro de seu filho do que com o que as pessoas de sua cidade falariam ao ve-la gravida no Brasil sem marido, sem pai para seu filho. Seus pais estavam fazendo sua cabeca em relação a casamento, ela relutava, ate que cedeu a ideia de ser esposa. Estava tudo certo. Ate Bernardo cedeu.