domingo, 21 de dezembro de 2008

VISTO CONCEDIDO

Amanhã é dia de viajar para Fortaleza e passar meu Natal e Ano Novo lá... e de lá voarei para SP para ir para o meu 1 ano nos EUA. Após 5 meses de applications (2 somente...) consegui o que queria...tenho uma Host Family e um Visto..
Embarquei para Brasília no dia 8 de dezembro às 5h .. foi um vôo beeem tranquilo. meu 1º dia foi bem cansado...passei todinho dormindo e fui visitar o tio no hospital. No dia seguinte, dia 9 de dezembro, fui sozinha para casa da minha prima Hellen que está com um bebezinho lindoo de viver!! Hellen mora em uma cidade satélite beem loge de lá. Fui sozinha e não me perdi.
No terceiro dia, dia 10 de dezembro, dia de tirar o visto, acordei bem cedo (5h) e me tremi todinha, não de frio, mas de borboletas saltitando em minha barriga. Me arrumei, não consegui tomar meu cafe-da-manhã direito, brigaram comigo por causa disso, e fui rumo à Embaixada dos EUA. Chegando lá (6:30 am) já tinha 2 pessoas na fila; uma com o schedule marcado para 8h (meu horário) e outra para 10h. Demorou uns 20 minuos e chegou um homem todo emperequitado, engravatado e perguntou quem era o último da fila de 8h, e claro, eu respondi "eu". Ele perguntou para a senhora que estava na fila de 10h o que ela estava fazendo lá naquela fila e disse que não tinha esse negócio de horário e tudo era na de 8h. A mulher com cara de casqueira, disse que já que era assim, ficaria na minha frente pois ela chegou antes de mim. Eu fiquei na minha e deixei ela entrar na minha frente.
Às 7 horas, os portões da embaixada se abriram, teve toda aquela confusão de verificação de bolsa e roupas; o rapaz, o que era o 1º da fila nao entrou, parece que estavam faltando documentos para ele. Deixei meus celulares lá fora onde se deve deixar, entrei e fui direto ao balcão onde deixei o meu passaporte, formulárioss e comprovantes de renda. quando entrei na parte do consulado, estava com um vontade extrema de azer xixi, mas já que eu era a 2ª pessoa a entrar na embaixada, preferi segurar o máximo que pude. Sentei nas cadeirihas destinada a visitantes e às 7:45 me chamaram para tirar as digitais. Era um moreno simpático com um português terrível. Coloquei minhas digitais e fiquei esperando minha vez para a entrevista.
às 7:40 o Guichê 4 abriu e vi o rosto lindo do cônsul formidável e fiquei pensando se esse seria o cônsul que as meninas tanto falavam. Mas aí, quando vi o cônsul do guichê 2, percebi que esse sim era o cônsul gato do papo das meninas.
O consul gato do Guichê 2 começou a atender e ele era o record de negação de visto. Comecei a tremer e a orar para que eu nao fosse ter entrevista com ele mesmo com vontade de ouvir o português ridículo dele, mas preferi não arriscar.
Às 8:15 minha senha aparece e, quando olhei para o numero do guichê, as borboletas do meu estômago começaram a ficar agitadas. Me dirigi ao Guichê 2 e o Cônsul gato me fez uma pergunta em português e o resto todo em inglês. Ele perguntou se eu trabalhava e aonde e perguntou onde eu moraria nos EUA. e no final ele disse com aquele português que vocês já sabem: "séo vêsto fói concedido, ppor favor paga taxa no cashier". Incrível!! A entrevista não durou nem 30 segundos e ele não me pediu nenhum documento!! NENHUMMMM!!!
Paguei a taxa, voltei lá no guichê dele e fui para o setor de sedex. Às 8:30 estava feliz da vida saindo da Embaixada, saltitando e cantando... hehehe. Fui de lá andando para o lugar onde se pega ônibus. No caminho encontrei com uma senhora que foi conversando comigo e contando todos os seus problemas de vida. foram 40 minutos de caminhada. Ela me falou da depressão dela, da superação de tudo na vida dela. O nome dela é Dona Conceição. Não vou esquecer das palavras de ânimo que ela me deu :)
No final de tudo, a vontade de fazer xixi fio embora. ehehhe.

Ana Raquel