domingo, 21 de setembro de 2008

Filme 300

“Reassisti novamente” o filme 300. Essa deve ser a quarta vez que o assisto. E digo que quanto mais o assisto, mais me dá vontade de comentar sobre ele. Posso ser sincera em dizer que é o filme que mais me dá vontade de lavar roupa, mesmo não sabendo executar dessa tarefa nem gostar de fazê-la. Só em olhar aqueles belíssimos homens bem esculpidos me dá arrepios
Sem sombra de dúvidas, 300 é um filme maravilhoso e peculiar. Filme que conta uma pequena parte da história da Grécia, da Batalha das Termópilas que culmina com a Batalha de Platéia, a batalha que dá vitória à Esparta. No filme vemos que os espartanos são guerreiros de verdade, não demonstram medo e nem dor, dominam o campo de batalha e possuem uma “coreografia” de guerra invejável. São fortes e, indubitavelmente, machos!
Por outro lado, vemos uma série de diálogos que colocam a masculinidade dos maravilhosos homens-tanquinho em dúvida. Lembro-me muito bem das minhas gargalhadas quando vi o diálogo do Rei espartano Leônidas com o dito deus persa Xerxes, muito mais na parte que Xerxes coloca suas másculas mãos no ombro do Rei-tanquinho.... aquilo foi muito duvidoso...o jeito que Leônidas fecha os olhos, a maneira com que Xerxes olha e mexe os lábios. Vale ressaltar também o diálogo de Astinus (filho do capitão do exército espartano) e Stelios durante a batalha, vocês hão de convir que aquilo foi muito gay. Há também a parte...depois que Leônidas tira sua armadura e fere Xerxes, Stelios diz: “My king (meu rei)” e Leônidas e Stelios seguram as mãos (que gay) e Stelios continua:”It’s an honor to die at your side (é uma honra morrer do seu lado)” e Leôdidas diz em resposta: “It’s an honor to have lived at yours (é uma honra ter vivido ao seu lado)”...Stelios geme, Leônidas, para mostrar que é forte, levanta, percebe-se uma olheira profunda nele que, por um curto espaço de tempo, pensei que fosse lápis de olho, e clama pela sua esposa... é Leônidas... Morreu.
Conversando com meu irmão, ele me disse que nessa época os gregos não poderiam se quer ver uma mulher enquanto treinavam, imaginem possuí-la... tudo isso para não ficarem fracos e para se concentrarem mais no seus afazeres para com a Grécia. Assim, eles saciavam suas vontades carnais com os amigos de batalha... não sei se isso foi verdade...mas... acho que deve ser o que aconteceu com Astinus e Stelios durante o treinamento e batalha.
É um filme que vale à pena assistir. Possui um elenco maravilhoso (uhhhh...homens-tanquinho). Não importa com que olhos você assiste... olhos de gay...de mulher...de homem...de historiador....de crítico... você gostará de olhar as cenas ali mostradas.
Se alguém do público homossexual ler esse post, não se sintam ofendidos, ok? Tenho vários amigos que fazem parte desse público. Minha intenção aqui não é a de ofender, mas sim de comentar um pouco sobre o que percebi no filme, mais ressaltado ainda, na última vez que assisti.


By Ana Raquel